Marcio Martins quer obrigar operadoras de plano de saúde a prestar esclarecimentos ao usuário quando houver negação de atendimento

https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fvereadormarciomartins%2Fvideos%2F1251287875005512%2F&show_text=0&width=476

Utilizando a tribuna da Câmara Municipal de Fortaleza nesta terça-feira, 8, o vereador Márcio Martins (PR) falou sobre os problemas que os usuários do sistema privado de saúde vem enfrentando na utilização dos Planos. O parlamentar evidenciou o sacrifício feito por muitos trabalhadores no pagamento dos planos privados de saúde e que muitas vezes não vem ofertando os serviços necessários.

“É um assunto de grande relevância não só para a população de Fortaleza mas para os brasileiros que sofrem com a falta de atenção dos planos de saúde. Um investimento que nós, muitas vezes fazemos, pagando todos os meses rigorosamente e na hora que vamos precisar muitas vezes é uma a dificuldade e uma burocracia”, atentou Márcio Martins.
Com base na problemática, o parlamentar apresentou o Projeto de Lei nº 259/2018, que obriga as operadoras de plano de saúde a prestar esclarecimentos ao usuário quando houver negação de atendimento. “No formato atual simplesmente o cliente tem o seu atendimento negado e não lhe é dado uma satisfação por escrito, dificultando muitas vezes que a gente ingresse na Justiça em busca desse direito”, justificou.

Outra questão levantada por Márcio Martins em relação ao atendimento de planos de saúde, voltado especificamente à UNIMED, foi o amparo multidisciplinar as pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). “O tratamento para pessoas com autismo é muito caro porque envolve uma série de atenções. Quem é da área da saúde conhece muito bem, precisa do fonoaudiólogo, neurologista e a Unimed Fortaleza entende que não tem que colaborar com todos esses atendimentos”, atentou.

O parlamentar, lamentando a postura da empresa UNIMED, reforçou a importância do tratamento e da identificação precoce das pessoas com TEA. “Hoje a solução mais eficaz para o tratamento do autismo é a sua identificação precoce, quanto mais cedo nós começarmos o tratamento mais chances nós teremos de ter um autista independente, porque essa é a grande busca das famílias dos autistas”, pontuou.

O projeto de lei nº 259/2018, como destacou Márcio Martins, será debatido em audiência pública no dia 11 de maio, contando com o apoio da Defensoria Pública e da Promotoria de Defesa do Idoso e da Pessoa com Deficiência. Para o debate o parlamentar convidou as instituições que militam na causa do autismo, citando a Casa da Esperança, o Fortaleza Azul, Pintando o Sete Azul e a TEAmo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s